Votação da reforma trabalhista é adiada por Eunício Oliveira

A sessão o senado de hoje, que estava prevista para a análise da reforma trabalhista foi adiada.




Um protesto da oposição impediu que o presidente da Casa Eunício Oliveira (PMDB) de se sentar a mesa, irritado Eunício desligou os microfones e apagou as luzes, deixou o plenário dizendo que “Nem na ditadura se fazia isso”, durante a análise da reforma trabalhista.

Eunício chegou no plenário exatamente quando senadores da oposição já discursavam contra a votação do projeto que modifica as leis trabalhista.




A senadora Fátima Bezerra (PT-RN), acompanhada das senadores Gleisi Hoffmann (PT-PR) e Vanessa Grazziotin (PC do B- AM), se recusaram a se levantar da cadeira.

O governo tem tentado frequentemente mostrar força na votação prevista para esta terça, para quando estava prevista a última etapa de tramitação do projeto.



Apenas 42 dos 81 senadores declaram apoio ao texto, o governo precisa de 42 votos para aprovar a reforma.

reforma trabalhista