Polícia de MT identificou jogadores do “Jogo da Baleia Azul” no Estado




Segundo informações da Polícia Civil, o jogo foi iniciado na Rússia entre 2015 e 2016 e está supostamente ligado a uma série de suicídios em todo o mundo, uma vez que busca causar danos emocionais aos participantes, induzi-los a cometer danos contra si e no final do jogo são induzidos ao suicídio.

A polícia afirma que as vítimas são coagidas a seguir instruções feitas por “curador”, como é chamada a pessoa que entrega os desafios. De acordo com relatos, o jogo dura cerca de 50 dias com desafios que vão desde “assistir a filmes de terror durante madrugada” e “rasgar a própria a pele com a faca até uma determinada hora do dia” até o desafio final, que seria o suicídio.




A Polícia identificou duas participantes do jogo no estado durante a conscientização de pais e  alunos em escolas de 11 municípios de MT, vizinhos da Cidade de Vila Rica. Cidade essa onde uma adolescente teria morrido em decorrência desse “jogo”.

Corpo foi encontrado em lagoa na região central de Vila Rica

Essas duas participantes tem 15 e 16 anos de idade. Joel Outo comandante da PM de Vila Rica, afirmou que as duas jovens fazem parte de um grupo de aplicativo de celular usado para relatar experiências à respeito desse jogo.

O número do telefone que a polícia identificou é de uma suspeita de Minas Gerais e usa o nome de “ALICE”,  essas suspeita que orientava as adolescentes a cumprir os desafios.

A Polícia disse que foi procurada pela mãe de uma adolescente, pois suspeitava que ela estivesse cumprindo esses desafios. A adolescente estava com uma cicatriz em formato de estrela na perna.
Ao verificarem o celular a polícia encontrou mensagem na qual sugeria que ela fizesse essa marca no corpo como um dos desafios do jogo.

A PM disse que vários vídeos de suicídios são compartilhados por esses membros do jogo.

No final da palestra que a Polícia prestava, uma adolescente lhes procurou, informou que participa desse grupo e já estaria no desafio 48º, e no total são 50 etapas e a última sempre leva ao suicídio.

Uma das sugestões que a Polícia passa é, controlar mais os acessos a internet e monitoras cada vez mais as mensagens trocadas nas redes sociais.
“Os pais podem até sr mais radicais e deixar os filhos em quarentena, sem acesso à web e aparelhos de telefone”, afirmou Joel Outro, tenente-coronel.

Fontes:O Globo, Extra, G1.