Governo Temer estuda fim do abono salarial

Abono Salarial: Medida é analisada caso reforma da Previdência não avance. Abono é pago a trabalhadores com renda de até dois salários mínimos e custará R$ 17 bi neste ano

A equipe econômica estuda acabar com o pagamento do abono salarial caso a votação da reforma da Previdência não vá adiante no Congresso.




Seria uma alternativa para cortar despesas, cortando o abono salarial e garantir o cumprimento do teto de gastos, segundo informações do site da Veja

O benefício é pago anualmente aos trabalhadores inscritos no PIS/Pasep há pelo menos cinco anos e que têm rendimento mensal de até dois salários mínimos. Neste ano, custará R$ 17 bilhões aos cofres públicos.

De acordo com a publicação,  embora o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, acredite na possibilidade de as novas regras para aposentadorias e pensões serem aprovadas ainda neste ano, sua equipe já considera alternativas a serem adotadas caso isso não ocorra.

A Fazenda monitora as negociações da reforma diante do quadro político instável.




Abono Salarial